Eleições Limpas Populares

Por Affonso Ghizzo Neto *

 

A sociedade brasileira está à espera de profundas modificações na estrutura política, eleitoral e administrativa do País. As mobilizações sociais legítimas ocorridas nas ruas, muito mais que vinte centavos, reclamam um basta ao exercício ilegítimo do poder político, econômico, social e midiático, constantemente manipulado pelos proprietários da coisa que deveria ser de todos.

Para os donos do Poder a desejada convergência entre ética, política e governo, é mera ficção presente somente em discursos politiqueiros sempre oníricos, conclamados com o único objetivo de iludir, ludibriar e manipular a percepção da nação brasileira.

Aliás, nesse cenário desanimador, importante recordar a inesquecível conquista da Lei da Ficha Limpa. Contra a vontade preponderante dos caciques políticos, a sociedade civil organizada impôs um filtro para o nivelamento dos concorrentes aos pleitos eleitorais. Não por acaso, como anunciou Jean-Pierre Guis, Vice-Prefeito de Paris e Presidente da ANTICOR, a França luta atualmente pela criação e aplicação de uma legislação semelhante.

Dando continuidade ao necessário aperfeiçoamento do sistema político, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral – MCCE, mais uma vez liderado pelo cidadão Márlon Reis, propõe à sociedade brasileira uma alternativa para reflexão e construção de eleições verdadeiramente limpas, populares e democráticas, enfim, reestruturadoras de um arcabouço legislativo ultrapassado, viciado e falido.

O comportamento negativo e nocivo daqueles que deveriam ser nossos representantes políticos – mas não são –, que quase sempre protagonizam lamentáveis episódios próximos da improbidade, da corrupção, da indecência, da imoralidade e da antiética, portanto, distantes da vontade, do desejo e do sentimento popular, comprova as motivações inconfessáveis, obscuras, parasitas e doentias dos donos do Poder. Como se observa pelas vozes das ruas, a sociedade conclama por uma nova ordem jurídica que legitime a verdadeira representação política do povo brasileiro.

 

* Promotor de Justiça e Idealizador do Projeto “O que você tem a ver com a corrupção?” e morador de Joinville

.
Este artigo possui 2352 visualizações.




Comentário(s):