Santos Dumont e as Cataratas

Santos Dumont conheceu as Cataratas do Iguaçu em 1916. Na época tinha 43 anos e já era uma celebridade mundial. Conquistara o prêmio Deutsch em 1901, após contornar a Torre Eiffel com seu Dirigível nº 6. Cinco anos mais tarde, e dez anos antes de chegar à Tríplice Fronteira, seria o primeiro homem a deixar o solo com uma aeronave mais pesada que o ar, provida de um motor a gasolina que lhe assegurava autopropulsão. 
Dumont impressionou-se com a incrível beleza das cataratas, à época visitadas apenas pelos hóspedes do Hotel Brasil, aos quais se assegurava o ingresso na propriedade privada do uruguaio Jesús Val, que até então era o dono daquelas terras paradisíacas. 
O célebre aviador poderia ter se contentado com a contemplação pessoal daquele cenário idílico. Poderia guardar na individualidade da memória as cenas captadas por suas retinas. Mas o gênio que aproximara a Humanidade dos céus também não queria vê-la privada das belezas da Terra. 
Tomou assim a iniciativa de procurar o governador da Província do Paraná, de quem instou a adoção de medidas que culminaram com a desapropriação da área em que estavam localizadas as portentosas cachoeiras, hoje reconhecidas como Patrimônio da Humanidade pela Unesco e uma das sete maravilhas da natureza. Só no ano de 2014 um milhão e quinhentas mil pessoas visitaram o Parque Nacional das Cataratas do Iguaçu. 
Como havia feito Prometeu, Dumont revelou aos homens uma maravilha antes reservada ao gáudio de poucos. Não é possível fazê-lo sem sujeitar-se ao flagelo dos deuses. 
Estive três vezes por ali, a primeira ainda na infância, levado por meus pais quando morávamos em Londrina, no norte do Paraná. Nas duas outras vezes, já neste ano, regressei àquelas bandas por conta das minhas atividades como palestrante. Não é possível ir a Foz sem me abeberar da energia vibrante das grandes cachoeiras. A sensação é de proximidade com o divino. 
Nem tanto ao ar, nem tanto à terra: o olhar de Santos Dumont estava voltado para o semelhante. Devemos todos mais essa a ele.  
 

.
Este artigo possui 1132 visualizações.




Comentário(s):